Poema da Semana #4 – Anoitecer

Anoitecer (Elisabete Brito)

Lá fora, as notas de luz desmaiam lentamente
Para que o clarão do luar
E a fulgência das estrelas
Comecem a espraiar-se por esta imensidão de céu.

O matiz do vermelho e do laranja é mais vibrante
E o olhar mergulha no horizonte
Até que por fim sobrevenha o crepúsculo
Com o seu manto
E aqui e ali comecem a emergir
Um após outro
Artificiais pontos de luz.

-Elisabete Brito
in Antologia Para os Sentidos (2016)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *