Os Livros de 2021 III – Não-Ficção

Confesso que compro muito mais livros de não-ficção do que aqueles que leio. Como sabemos, comprar livros e ler livros são dois hobbies totalmente distintos, e neste género literário o fosso alarga-se. Ainda assim, apaixonei-me por vários volumes de não-ficção que li este ano, que receberam todos 5 estrelas, e recomendo a todos que tiverem interesse!

Vou começar por dizer que TODA A GENTE DEVIA LER ESTE LIVRO. Lori Gottlieb, uma psicóloga americana, traz-nos uma narrativa hilariante e comovente sobre a sua relação com alguns dos seus pacientes, mas também com o próprio psicólogo. O livro, marcado pela honestidade, introduz uma perspetiva fresca, humana e despida de pré-conceitos sobre a saúde mental, o porquê de ir ao psicólogo, e a magia que criamos quando trabalhamos em nós próprios. Numa altura em que a saúde mental está coletivamente sob-ameaça, ler este livro trouxe-me muito conforto e companheirismo, e dou por mim a regressar frequentemente às minhas passagens ou capítulos favoritos.

Uma peça de literatura feminista icónica, The Vagina Monologues não perde relevância mesmo mais de 20 anos depois da publicação original. No seus primórdios, o manuscrito resultou de conversas com mais de 2 centenas de mulheres sobre as suas experiência sexuais e relação com a sua vagina. Alternando entre crónicas resultantas das entrevistas e momentos de spoken word que saltam da página, esta peça funciona em papel quase tão bem como ao vivo. Tive a sorte de ver a peça no Coliseu do Porto, e foi um fascínio ver os momentos ganharem vida no palco. Leiam, vejam, sintam e levem os ensinamentos para casa. Vale a pena!

A memoir de Samra Habib, muçulmana e queer, nas palavras da própria, deu-me uma nova perspetiva sobre muitos dos temas que circundam a relação ente a identidade sexual e religiosa de uma mulher muçulmana. A honestidade de Samra é refrescante, e a sua história de vida, pautada por vários eventos traumáticos e revoltantes, é um testemunho ao tanto que ainda falta fazer na luta pelos direitos de ambas comunidades, com uma terceira frente: a interação entre a comunidade LGBT e muçulmana, e o julgamento frequente que dela resulta. Samra é, sem dúvida, inspiradora, e dei por mim a desejar poder contar com a amizade dela na minha vida.

Comprei este livro por impulso no TradeStories, a plataforma de compra e venda de livros em segunda mão, sabendo muito pouco sobre ele. Esta é coleção de 17 ensaios ou crónicas de várias mulheres muçulmanas sobre as suas experiências e relação com o feminismo, a burqa, a religião, o casamento, as relações, entre muitos outros temas. Cada mulher tem uma voz distinta, e cada crónica desafia o nosso pensamento e as noções ou crenças que possuímos. Uma pequena pedra preciosa cheia de poder, que recomendo a todos que tenham interesse no tema.

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah. Este livro activou todo o meu espírito de fangirl de Gilmore Girls, uma das minhas séries favoritas que revejo frequentemente. Lauren Graham, que é Lorelai Gilmore, presenteia-nos com uma memoir hilariante que revisita toda a sua carreira, pontilhada com momentos caricatos e episódios da visa pessoal, e carregada de conselhos tão insólitos como potencialmente úteis. Recomendo a leitura no formato audiobook, narrado pela própria, que confere uma personalidade extra a toda a experiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.