Feira do Livro 2020

O fim de Agosto traz um dos meus eventos favoritos do ano – A Feira do Livro do Porto. Num ano tão atípico e com tantas desilusões como tem sido 2020, a realização da Feira do Livro trouxe-me ainda mais felicidade do que em outros anos. Desde que me lembro nunca perdi uma edição, e é já uma tradição de família passarmos um ou dois dias a explorar as banquinhas da feira.

Palácio de Cristal // Agosto 2020

A Feira abriu ontem (28 de Agosto) e estará aberta até 13 de Setembro, nos jardins do Palácio de Cristal, com o tema “Alegria para o fim do mundo”. Com lotação controlada e limitada, stands de álcool-gel espalhados pelo recinto e obrigatoriedade no uso de máscara, senti-me perfeitamente segura o tempo todo. E a feira não desiludiu.

Saí de casa com uma lista de três livros a comprar, já sabendo que dificilmente teria a força de vontade para me restringir a tal. E assim foi. Como se costuma dizer, “perdi a cabeça”, mas ganhei livros que estou ansiosa por ler, pelo que não me arrependo. Assim, sem mais demoras, fiquem com as minhas comprinhas neste ano na feira.

A primeira banca a que fui, da Poetria (https://www.poetria.pt/) foi de longe a minha favorita. Super bem organizada, com uma variedade de livros de poesia e teatro invejável, e funcionários extremamente simpáticos e prestáveis, foi onde encontrei mais alegria. Aqui comprei quatro livros de poesia:
– “Os Poemas Possíveis”, de José Saramago – confesso que até ao momento não sabia que Saramago tinha um livro de poesia, mas estou felicíssima por o ter encontrado. Este é talvez o livro que mais vontade tenho de ler, sinto que não vai chegar ao fim de Setembro sem a espinha quebrada (metaforicamente, claro!)
– “Penguin’s Poems for Love” – as colectâneas de poesia da Penguin são espetaculares, e uma forma incrível e económica de conhecer novos autores e explorar temas específicos. Já tenho companhia para as noites em que só me apetece abrir um rosé e ler poesia de amor!
– “The Complete Poems”, de Emily Dickinson – andava há meses à procura de uma colectânea da Emily Dickinson que valesse a pena, e na Poetria encontrei-a finalmente. A um preço incrível (16 euros!!!), de elevada qualidade e com mais de 700 poemas, tenho finalmente a edição definitiva que tanto cobiçava.

O Afonso Cruz é um dos meus autores favoritos, e a pouco e pouco tenho procurado coleccionar as suas obras, que tanto me entretêm. Encontrei esta edição limitada d’”As Flores” que combina com a minha edição de “Jesus Cristo Bebia Cerveja” e não resisti a trazê-la comigo. Ainda na Poetria, foi-me recomendado o “paz traz paz”, o novo livro de poesia do mesmo autor, que acabou por vir também embora comigo.

A banca da Booktique (https://booktique.online/index.htm) é das mais populares na feira, pois todos os livros estão à venda por apenas 1 euro. Sim, isso mesmo, 1 euro! Com este preço apetecível e uma selecção de obras invejável é impossível não perder a cabeça. Comprei uma pequena coleção de mini-clássicos e obras obrigatórias em todas as estantes de um “bom português” que faziam falta nas minhas: “O Elogio do Almanaque” e “O Deserto” de Eça de Queirós; “Meditações do Desassossego” do Bernardo Soares; “Ode Marítima” do Álvaro de Campos e “A Chinela Turca” do Machado de Assis. Por lapso, agarrei também no “Livro da Sabedoria” do Salomão, que de certo será também uma agradável leitura.

Por fim, este ano trouxe uma agradável surpresa – várias bancas (incluindo as da Fnac e do El Corte Inglês) tiveram o cuidado de ter uma seleção de livros em inglês (e frequentemente também em francês e espanhol). Assim, não resisti a adquir alguns livros que estavam na minha lista já há algum tempo (como o “Meditations” do Marcus Aurelius o “The Shell Collector” do Anthony Doerr, autor do fantástico “All the Light We Cannot See” e o “Nine Perfect Strangers” da Liane Moriarty, autora de “Big Little Lies”) e outros que me chamaram a atenção no momento, tanto pelas capas, autores e sinopses, e que espero que correspondam à expectativa (“Bridge of Clay” de Markus Zusak, autor de “The Book Thief” e “About a Boy”, do Nick Horby).

Conclusão – a minha tarde na Feira foi um sucesso. O evento não desiludiu e, como sempre, este foi um dos meus dias favoritos do ano. Talvez mais para o fim da Feira volte para explorar mais um bocadinho, mas para já estou bem servida de leituras interessantes e entusiasmantes para me acompanharem nos meses de Outono e Inverno (e possivelmente de novo confinamento) que se avizinham. Boa Feira a todos!

Um comentário em “Feira do Livro 2020”

  1. Boas escolhas!
    Nunca li nada só Afonso Cruz. Tenho de experimentar.
    Bem, mas sendo do Porto e amante de literatura passei aqui só para deixar uma sugestão:
    http://maepreocupada.blogspot.com/

    Seja lá quem for o autor(a), todo o cenário é no Porto (foz) e a escrita, na minha modesta opinião, magnífica!

    (Faz-me lembrar a Agustina! De quem também gosto muito)

    Boas leituras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *